quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Após Encerramento do Seminário de Políticas Culturais 2010: O Que Ficou?


Com apresentações de experientes pesquisadores e estudantes de pós-graduação, o Seminário Internacional Políticas Culturais: teoria e práxis foi marcado por trabalhos que trazem novas propostas para a atualização das políticas culturais no Brasil.


A cultura vem ganhando força e se revelando como o instrumento capaz de promover grandes mudanças econômicas e sociais no país.

Hoje, o setor cultural tem o suporte que não tinha a alguns anos atrás. As políticas adotadas pelos governos Federal, Estadual e Municipal, somadas ao fomento da iniciativa privada, estruturaram o setor de forma mais competitiva e democrática. Mas é importante dizer que ainda temos muito o que trabalhar!

Dentre os principais temas discutidos, destaco aqui a Diversidade Cultural, que se revela o conceito capaz de "educar" as pessoas para a construção de um mundo baseado no diálogo e tolerância.



Deixo abaixo alguns link´s e imagens sobre o Seminário:



Produtor Cultural Independente: Terceiro dia do "Seminário Internacional Políticas...

Produtor Cultural Independente: Terceiro dia do "Seminário Internacional Políticas...: "Abertura Seminário 2010 from Helena Klang on Vimeo. Vídeo de Helena Klang sobre o Seminário de Políticas Culturais Por Alê Barreto* Sex..."

Produtor Cultural Independente: Segundo dia do "Seminário Internacional Políticas ...

Produtor Cultural Independente: Segundo dia do "Seminário Internacional Políticas ...: "Por Alê Barreto* Ontem foi o segundo dia do Seminário Internacional Políticas Culturais: teorias e práxis da Fundação Casa de Rui Barbo..."

Produtor Cultural Independente: Primeiro dia do "Seminário Internacional Políticas...

Produtor Cultural Independente: Primeiro dia do "Seminário Internacional Políticas...: "Por Alê Barreto* Ontem foi o primeiro dia do Seminário Internacional Políticas Culturais: teorias e práxis da Fundação Casa de Rui Barb..."

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Luz do Palco - Exposição Fotográfica de Carol de Hollanda.



Carol de Hollanda, fotógrafa e arquiteta, montou uma mostra com retratos de músicos em seu espaço mais intimista: o palco!

Aproveitei que a artista também assina a "imagem de capa" deste blog e sugeri a ela uma breve entrevista, pois não queria deixar de falar sobre suas fotos.

E para os interessados em conferir, a  exposição Luz do Palco está aberta ao público no Centro Municipal de Referência da Música Carioca, na Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca - Rio de Janeiro, de terça a sábado das 14h às 19h. A entrada é gratuita!



Vai a entrevista:

1- Carol, conte um pouco da sua formação como fotógrafa.
Inicei minha vida profissional na fotografia no último ano da faculdade de Arquitetura, trabalhando com o fotógrafo Rogério Reis e Mayra Rodrigues, na Tyba Agência de Fotografia.
Fiz muitos cursos no Ateliê da Imagem, SENAC, SENAI, UERJ e, recentemente, fiz uma especialização em fotografia na School of Visual Arts, (SVA) na cidade de NY onde morei por 6 meses, e onde trabalhei também com a designer Nina Giambelli. 
2- E sobre sua relação com a música?
Estudo música desde os 7 anos, iniciando com piano e depois estudando flauta transversa com Katia Pierre e Afonso Oliveira, da Escola de Música. Também estudei com Marcelo Bernardes e Alvaro Carrilho, quando ingressei no universo do Choro através da Escola Portátil de Música, e tive aula também com diversos outros professores, todos referência para quem é músico.
Mais tarde, já no final da minha faculdade de Arquitetura (UFF), passei para Escola de Música e cursei durante dois anos a faculdade de Composição. 
3- A realização da exposição contou com a seleção de imagens dentre um acervo que vem produzindo por conta do trabalho junto com o Centro de Referência da Música Carioca.
Qual o objetivo da exposição?
Iniciei esse trabalho por conta das fotografias que fiz na Sala Funarte Sidney Miller, em 2000.  Nessa época, a sala havia retornado depois de um tempo fechada, e eu passei a ir em todos os shows para registrá-los.  Fiz por iniciativa própria, e como forma de exercitar a fotografia no PB (preto e branco).  Na época, só usava a câmera analógica.  Achei importante fazer isso como forma de desenvolver um projeto pessoal com o qual realmente me identificasse.  E como conhecia  a maioria dos músicos fotografados por conta dos meus estudos na música, consegui me aproximar do assunto através da amizade que tinha com eles.
4- Você vem se especializando em fotografias de eventos musicais.
Qual a importância desse tipo de iniciativa para registro e documentação?
E como projeto artístico?
Vejo como forma de documentar a memória musical da cidade do Rio de Janeiro.  No caso do CMRMC, é um trabalho específico que faço para o Claudio Jorge o documentar todos os shows ocorridos na casa.
Como projeto pessoal, acredito na importância da fotografia como forma de resguardar e preservar a memória dentro de um determinado momento histórico. 
Como projeto artístico, todo artista deve ter seu projeto pessoal que signifique uma verdadeira paixão.  Como projeto artístico em geral, o trabalho de retrato que procuro de músicos que faço conta uma parte da história musical de nossa cidade.
5- Fale sobre seus novos projetos em idealização/realização?
Tenho um projeto ainda muito no início mais ligado às questões do urbanismo.  
Como arquiteta, estou envolvida com a fotografia da cidade e procurando aliar o photoshop nesse novo processo, como ferramenta de manipulação das minhas imagens.
Fora isso, continuo, sempre, a registrar os músicos nos palcos do RJ.
Carol, obrigado pela entrevista!
Lembrando que os interessados podem conferir a  exposição, de terça a sábado das 14h às 19h, no Centro Municipal de Referência da Música Carioca.
Rua Conde de Bonfim, 824, Tijuca - Rio de Janeiro.








Programação na Sala FUNARTE Sidney Miller (RJ)

A programação musical da Sala FUNARTE Sidney Miller deste ano privilegiou a diversidade (Post relacionado). Sua pauta contou com artistas dos mais diversos gêneros e linguagens musicais.


Deixo abaixo a agenda do final de setembro..




domingo, 26 de setembro de 2010

Compositores da Pesada!



Para essa publicação parti da mesma motivação do post Sua Magestade, o Violão!.

A idéia é disponibilizar uma lista com a nata de compositores brasileiros e link´s de videos com gravações históricas e performances originais de suas músicas.
É fato que a divulgação de ótimos artistas é um ganho para o público interessado..

Selecionei os compositores com base no meu conhecimento e na originalidade e criatividade de suas obras.

Também vou considerar o que chamo de "alcance de influência", ou seja, quero divulgar aqui autores que sejam valorizados em regiões ou nichos de mercado específicos, com o intuito de estimular o contato de suas músicas com novos públicos. Esse é o barato da internet: não se tem mais barreiras para descobrir e conhecer coisas novas!


ADAMO PRINCE

BARTHOLOMEU WIESE

CAPIBA

CARLOS HENRIQUE MACHADO FREITAS

EGBERTO GISMONTI

FRANCISCO MÁRIO

GILSON PERANZZETTA

IVAN PAPARGUERIUS

K-XIMBINHO

LUPERCE MIRANDA

MOACIR SANTOS

RADAMÉS GNATTALI

RICARDO TACUCHIAN

RUDÁ BRAUNS

SEBASTIÃO TAPAJÓS

sábado, 25 de setembro de 2010

Eduardo Isaac no SESC Santana.





O violonista argentino Eduardo Isaac se apresentará com a Orquestra Metropolitana no Teatro SESC Santana. O repertório será baseado na obra de Radamés Gnatalli.

O Teatro SESC Santana fica na Avenida Luiz Dumont, 579, Santana - São Paulo/SP.
Maiores informações pelo tel. (11) 2971-8700


Mais informações sobre o artista em:

www.eduardoisaac.com/

http://www.ucol.mx/boletines/noticia.php?id=6727



terça-feira, 21 de setembro de 2010

Começa amanhã o SEMINÁRIO INTERNACIONAL POLÍTICAS CULTURAIS: TEORIA E PRAXIS



Estarei acompanhando esta semana o Seminário Internacional Políticas Culturais: teoria e praxis.

O encontro, organizado pelos pesquisadores Lia Calabre e Mauricio Siqueira, da Fundação Casa de Rui Barbosa, irá reunir especialistas, estudiosos e interessados nas questões relativas à área de políticas culturais.
Postarei novidades sobre o evento!

Desafios para o novo(a) Presidente da Repúlica: Rumo ao Desenvolvimento Cultural

Estou postando abaixo texto escrito pelo prof. Paulo Sérgio Duarte, publicado no Primeiro Caderno do jornal O Globo, em 21/09/10 (hoje), com o título original "Cultura e Ação Pública".

É um bom texto para refletirmos sobre como fortalecer a consciência a favor do desenvolvimento sustentável!




Cultura e ação pública
PAULO SERGIO DUARTE

Desde 1985, com a criação do Ministério da Cultura, há um problema na formulação das políticas públicas de cultura: fomos levados a um divórcio entre educação e cultura.

O novo ministério serviu bem como balcão de atendimento às reivindicações das diversas corporações culturais, atende artistas e produtores e nos últimos oito anos ampliou essa assistência a um público que nunca teve acesso ao Estado.

As leis de incentivo à cultura por meio da renúncia fiscal podem ser aperfeiçoadas, mas funcionaram.

Entretanto, a questão crucial não foi enfrentada desde 1985: a participação da cultura na formulação das políticas públicas educacionais. E vou mais longe: a participação da cultura em projetos sociais, como os de urbanismo e habitação e os de alimentação.

O fato é que a política cultural não pensa a nação fora do gueto das diversas corporações, algumas com lobistas profissionais. O caso da distância da cultura dos projetos educacionais é o maior problema.

O forte investimento que o Brasil fizer em educação nas próximas décadas terá resultados lamentáveis se mantidos os paradigmas atuais. Só se pensa na capacitação técnico-científica e o problema não se resolve ao embutir nos currículos disciplinas artísticas como arte, música e dança.

Isso é necessário, mas não suficiente.

Trata-se de formar os professores das mais diversas disciplinas — matemática, ciências, línguas, história, geografia, educação física — com ênfase nos aspectos culturais que podem ser explorados em seus projetos didáticos. Os laboratórios de currículos das secretarias de educação têm que ser capacitados para isso. Quando existem, não estão preparados e isso deverá ser objeto de um investimento rigoroso. É todo um processo que se constitui num grande desafio para a política cultural das próximas décadas.

O cidadão do mundo contemporâneo resolverá melhor suas dificuldades se junto com a especialização tiver uma percepção adequada da complexidade local e global, ou como se costumava dizer, em termos mais antigos, das particularidades e da totalidade.

A formação de professores bem remunerados deverá ser a atenção primordial, mas sem a dimensão cultural e a habilidade de tratá-la em diferentes disciplinas pouco adiantará para melhorar o que vem por aí.

O caso da ausência da dimensão cultural na formulação dos projetos sociais aponta para as tragédias que estamos construindo.

Tomemos o exemplo mais banal do urbanismo, da habitação e do saneamento. Encontrado um terreno plano, traça-se um projeto ortogonal, de vielas ou ruas verticais e horizontais, que se entrecruzam, e lá são construídas habitações de arquitetura pífia.

Para quem mora embaixo da ponte é um ganho enorme, mas levar o miserável a habitar um verdadeiro campo de concentração forma cidadania?

Porque não pensar todos, literalmente todos os projetos de habitação popular, como locais aprazíveis, com desenho de ruas agradáveis, um projeto de paisagismo com arborização adequada, locais de lazer e equipamentos de saúde, de educação e cultura necessários para uma vida pobre mas digna dentro das novas exigências de sustentabilidade e respeito ao meio ambiente?

O que se constrói hoje é uma indústria da depressão e da marginalização da população pobre, locais vulneráveis à violência e a toda forma de achaques, de traficantes, de milícias, de funcionários corruptos e de políticos demagogos.

A redução de custos desses projetos, a médio prazo, custa muito mais caro a toda a sociedade. E não esqueçamos que é tempo de a dimensão cultural entrar na política de alimentação.

Pode parecer absurdo, mas depois do Fome Zero é importante pensar na qualidade da alimentação num processo de educação alimentar das populações mais pobres, e, de novo, a política cultural terá que encontrar um nicho para se meter nesse assunto: o que comem os brasileiros pobres?

Esses são desafios para uma política cultural mais abrangente do que a que vem sendo executada há mais de duas décadas.

Sem uma sinergia positiva entre os diversos ministérios e o Ministério da Cultura não sairemos dos limites atuais. E essa sinergia só se produzirá a partir da vontade expressa do futuro presidente da República, como plano permanente de governo.



PAULO SERGIO DUARTE é professor e pesquisador do Centro de Estudos Sociais Aplicados da Universidade Candido Mendes, Crítico de arte, curador e professor de História da Arte na Universidade Candido Mendes - UCAM, Rio de Janeiro. 2008 Co-curador da participação do Brasil como país convidado na ARCO8 – 27 Feria Internacional de Arte Contemporáneo, Madri 2005 Curador geral da 5ª Bienal do Mercosul 1986-1990 Diretor do Paço Imperial, Rio de Janeiro 1981-1983 Diretor do Instituto Nacional de Artes Plásticas da FUNARTE. Autor dos livros A Trilha da Trama e outros textos sobre arte, FUNARTE, 2004; Waltercio Caldas, Cosac & Naify, 2001; Anos 60 – Transformações da arte no Brasil, Campos Gerais, 1998.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Aproveite a Diversidade Cultural.



Pergunta: Já se deu conta de que a pluralidade de expressões e manifestações culturais que existe no Brasil contribui para que sejamos uma nação mais feliz?



Curiosidade: No dia 21 de maio é comemorado em mais de 100 países o Dia Mundial da Diversidade Cultural para o Diálogo e o Desenvolvimento. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) em 2001, mesmo ano em que foi feita a Declaração Universal da UNESCO sobre a Diversidade Cultural.

Em 2005, a Assembléia Geral da Organização adotou a Convenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais. A convenção foi promulgada no Brasil em 2007 e, até agora, 109 países já ratificaram o documento.

Na prática, o acesso à diversidade tem como objetivos desenvolver a capacidade de tolerância e diálogo de pares com formações e hábitos distintos e preservar as tradições culturais e suas riquezas tangíveis e intangíveis.



A pessoa que é mais aberta ao novo e ao diferente tende a ser mais flexível e contorna problemas e dificuldades com menos sofrimento.
Compartilhe a diversidade e ajude a construir um mundo melhor!

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Steve Martin e o Banjo Americano.



Conhecemos o Steve Martin pelos filmes em que atuou. Lembra daqueles que sempre passam na Rede Globo?

Dentre eles "Antes Só do que Mal Acompanhado" (com Jonh Candy), "O Pai da Noiva" (1 e 2), "Doze é Demais" (1 e 2), "Os Picaretas, e "A Pantera Cor-de-rosa" (1 e 2).

Mas o que pouca gente sabe é que além de comediante, Steve Martin também é músico e já tocou com grandes nomes da música americana, com destaque para Bela Fleck, Tony Trischka, e Earl Scruggs.

O ator demonstra bastante afinidade os gêneros Bluegrass, Folk e Country, e adotou o Banjo Americano como instrumento que o acompanha nos palcos e programas de rádio e entrevistas.
É um grande divulgador desse instrumento!


Selecionei abaixo uma lista com os melhores vídeos do YOUTUBE, que trazem excelentes performances do Steve. O cara é fera!









quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Acordes do Rádio: 90 Anos do Violão Brasileiro



Série que retrata o violão brasileiro, com enfoque na maneira como foi sendo difundido pelo rádio ao longo do século XX até os dias atuais, na chamada “geração mp3”, que marca o início do século XXI. Os espetáculos reunem alguns dos mais importantes violonistas da atualidade e cantoras da nova geração da MPB.


Está sendo realizada no Teatro II do Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB Rio) – Rua Primeiro de Março, 66, Centro. 155 lugares.
Informações: (21) 3808.2020. A bilheteria funciona de terça a domingo, das 9h às 21h.


PROGRAMAÇÃO
  • Eustáquio Grilo e Ná Ozzetti – 20 de julho
  • Guinga, Lula Galvão e Mônica Salmaso – 17 de agosto
  • Quarteto Maogani e Caio Cezar – 21 de setembro
  • Marco Pereira, Mauricio Carrilho e João Lyra – 19 de outubro
  • Duo Paulo Bellinati & Weber Lopes e Clara Sandroni – 16 de novembro


Matéria completa no Blog da Mônica Ramalho:
 
http://www.monicaramalho.com.br/?p=3209
 
 
 
Imagem do Post: Capa do CD "Tons e Semitons" do violonista Paulinho Nogueira.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010


Está programado para os dias 22, 23 e 24 de setembro, na Fundação Casa de Rui Barbosa, o Seminário Internacional Políticas Culturais: teoria e praxis.

O encontro organizado por Lia Calabre e Mauricio Siqueira irá reunir especialistas, estudiosos e interessados nas questões relativas à área de políticas culturais, com o objetivo de divulgar trabalhos e promover debates e reflexões sobre o tema.

Maiores informações e inscrições podem ser acessados através do site da instituição <Seminário - FCRB>.


Link´s relacionados:

II Ciclo de Debates Sobre Políticas Culturais - UFBA/2007

Paulo Freire - Dimensão Política da Educação (em espanhol)

domingo, 5 de setembro de 2010

Evento marca 30 anos do curso superior de violão na UFRJ



Em outubro a Faculdade de Música da UFRJ vai promover evento para comemorar os 30 anos do bacharelado em violão.

Já foi divulgada a agenda do evento, que conta com apresentação do Violões da UFRJ <Lançamento do CD "Violões da UFRJ"> e atrações internacionais. Vale a pena conferir!

Mais informações em:

30 anos de violão na UFRJ

Lançamento do novo álbum do conjunto Violões da UFRJ



O lançamento do CD do grupo Violões da UFRJ é um projeto pioneiro, que tem por objetivo promover e divulgar a produção artística da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e do conjunto formado no ano de 2003.

Composto por ex-alunos do curso de bacharelado em música, o grupo mantém uma agenda regular com apresentações no Estado do Rio de Janeiro, Brasil e exterior. Destaca-se sua particição no projeto "Série Guitarras Brasil-Espanha 2010" <Série Guitarras Brasil-Espanha 2010>.


Abaixo disponibilizo link´s para mais informações sobre o Violões da UFRJ.

Vídeo Youtube - Violões da UFRJ

Vídeo Youtube - Violões da UFRJ

Matéria sobre o lançamento do CD "Violões da UFRJ"

Breve release "Violões da UFRJ"